(86) 3131-1300
Teresina, 16 de Agosto de 2017
 
Publicada Quinta-feira, 18/05/2017
Reforma trabalhista é suspensa e oposição quer barrar a proposta no Senado

O calendário de tramitação do projeto (PLC 38/2017) foi adiado, sem previsão para a retomada das discussões.

Com a crise institucional do governo, a tramitação da reforma trabalhista no Senado foi suspensa e considerada “secundária” pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), que é o relator da proposta nas Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Assuntos Sociais (CAS). Em nota oficial, ele afirmou que é preciso priorizar a solução da crise “devastadora” que o país enfrenta para depois seguir com os debates.

O calendário de tramitação do projeto (PLC 38/2017) foi adiado, sem previsão para a retomada das discussões. Ferraço já havia anunciado a entrega do relatório na CAE para a próxima terça-feira (23), e a apresentação na CAS para o dia seguinte. A votação em Plenário estava prevista, inicialmente, entre os dias 12 e 15 de junho.

Oposição

Para os senadores de oposição ao governo, as propostas de reforma trabalhista e da Previdência estão "superadas" e devem ser barradas no Senado.

— Essas matérias acabaram, até os parlamentares do PSDB já têm consciência que elas se encerraram. Ou seja, o objetivo do golpe foi por água abaixo — afirmou Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).

Paulo Paim (PT-RS) também entende que os projetos de reforma não se sustentam no atual cenário de crise.

— Fiz até um apelo para o relator da reforma da Previdência na Câmara para que tenha o mesmo gesto do senador Ferraço, que suspendeu a tramitação da reforma trabalhista enquanto não resolvemos essa crise política. Nós esperamos que o novo presidente eleito se debruce sobre esse tema e chame a sociedade para o debate — disse.

José Pimentel (PT-CE) foi ainda mais longe na análise sobre o momento vivido pelas instituições.

— Eu sou daqueles que quando vejo o presidente de um partido, o PSDB, candidato à presidência da República, sendo afastado do seu mandato com um pedido de prisão feito pela Procuradoria, só isso é suficiente para paralisar o trabalho do Congresso Nacional — ressaltou.

Sem clima

Para o senador José Medeiros (PSD-MT), “não há clima para reformas” enquanto não vierem à tona todos os fatos relacionados à crise do governo. Mesmo assim, ele aposta na suspensão apenas temporária do debate.

— Momento difícil, em que o país estava retomando os empregos, que a economia começava a dar sinais de vida e que a gente já ia para o desfecho das reformas. E essa variável, que a gente sabia que existia, realmente deixa o cenário muito complicado. Agora, é a gente manter a confiança e esperar que o Brasil possa sair logo dessa — disse.

Leia a nota oficial divulgada por Ricardo Ferraço, relator da reforma trabalhista no Senado:

    NOTA OFICIAL


    A crise institucional que estamos enfrentando é devastadora e precisamos priorizar a sua solução, para depois darmos desdobramento ao debate relacionado à reforma trabalhista. Portanto, na condição de relator do projeto, anuncio que o calendário de discussões anunciado está suspenso. Não há como desconhecer um tema complexo como o trazido pela crise institucional. Todo o resto agora é secundário.

    Ricardo Ferraço

    Senador pelo PSDB-ES


Fonte: Agência Senado

 
Centro de Apoio a mulher comerciaria
CONTRACS
Contribuição Sindical
Contribuicao Social e Federativa
Convencoes
CUT BRASIL
CUT PIAUÍ
MST
Portaria
Sindeconpi
 
lista
14.08.2017 Sindicato dos Comerciários e da Construção Civil promovem curso de marketing sindical
10.08.2017 LDO define salário mínimo de R$ 979 próximo ano
10.08.2017 Sindicatos promovem cursos de Argumentação Sindical e Marketing Sindical em Teresina
09.08.2017 Quem sacou o FGTS também receberá metade do lucro do fundo; entenda
08.08.2017 Sindicato participa de Fórum internacional sobre mudanças no trabalho
08.08.2017 Categoria comerciária destaca conquista da creche
08.08.2017 Pais participam de reunião e recebem detalhes sobre funcionamento da creche Joel Mendes
07.08.2017 Teresinense teve que trabalhar quase 90 h para pagar a cesta básica em julho
07.08.2017 Lei Maria da Penha completa 11 anos de luta
04.08.2017 INSS vai reconhecer aposentadoria por idade de forma automática
03.08.2017 Temer é rejeitado por 95% da população, e 88% defendem diretas já
01.08.2017 INSS convoca segurados para perícia; quem não for perde benefício
28.07.2017 Dirigente sindical entra na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado
27.07.2017 Caixa Econômica começa a pagar hoje abono do PIS/Pasep
26.07.2017 3ª Plenária Nacional aponta caminhos para a organização sindical
25.07.2017 Creche para filhos de comerciárias tem matrículas abertas
24.07.2017 Fies: Inscrições para financiamento estudantil começam amanhã
21.07.2017 Com reforma, trabalhador pode ter que pagar custos de processos atuais
20.07.2017 Descobriu que a empresa não depositou o FGTS? Veja como monitorar o saldo e tentar reaver o dinheiro
20.07.2017 'Contrato intermitente cria o boia-fria do meio urbano'
19.07.2017 Sindicato promove aulas de Zumba para categoria
18.07.2017 Reforma aumentará número de processos na Justiça do Trabalho
SINDCOM - Sindicato dos Empregados no Comercio e Serviço de Teresina
Rua David Caldas, 536
sindicatocomerciariothe@hotmail.com - (86) 3131-1300