(86) 3131-1300
Teresina, 16 de Agosto de 2017
 
Publicada Segunda-feira, 07/08/2017
Teresinense teve que trabalhar quase 90 h para pagar a cesta básica em julho

Segundo levantamento do Dieese, valor da cesta básica teve redução de 1,74% na Capital, mas mesmo assim, consumiu 44% do salário mínimo.

O teresinense teve que trabalhar 89h50min para conseguir pagar a cesta básica na Capital durante o mês de julho, é o que aponta o levantamento mensal apresentado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos). Apesar de ter tido uma redução de 1,74%, a cesta básica em Teresina custou R$ 382,39 no mês passado e seu valor consumiu 44,39% do salário mínimo líquido do trabalhador.

A cesta básica em Teresina é a 15ª mais cara do Brasil. Dos 13 produtos que a compõem, apenas o tomate e a manteiga tiveram alta nos preços em relação a junho. O primeiro, com uma variação de R$ 0,70 e o segundo com uma variação de R$ 0,64.


O açúcar se manteve com o preço estável, mas a carne, o leite, o arroz, o feijão a farinha, a batata doce, o pão, o café, a banana e o óleo apresentaram redução de preço. A maior diminuição se verificou no preço da banana (- 5,96).

Já na variação acumulada ao longo do ano, foi o arroz que teve a maior redução de preço (- 49,28%) seguido do leite (- 14,95%). Já produtos como o café e o tomate registraram altas consideráveis de preço ao longo dos primeiros sete meses de 2017: 20,64% e 18,13%.

O estudo do Dieese é feito pegando-se a cesta básica mais cara que, em julho, foi a de Porto Alegre, em consideração à determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência. Em julho, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.815,36 ou quatro vezes o mínimo de R$ 937,00.

Fonte:Portal o dia

 
Centro de Apoio a mulher comerciaria
CONTRACS
Contribuição Sindical
Contribuicao Social e Federativa
Convencoes
CUT BRASIL
CUT PIAUÍ
MST
Portaria
Sindeconpi
 
lista
14.08.2017 Sindicato dos Comerciários e da Construção Civil promovem curso de marketing sindical
10.08.2017 LDO define salário mínimo de R$ 979 próximo ano
10.08.2017 Sindicatos promovem cursos de Argumentação Sindical e Marketing Sindical em Teresina
09.08.2017 Quem sacou o FGTS também receberá metade do lucro do fundo; entenda
08.08.2017 Sindicato participa de Fórum internacional sobre mudanças no trabalho
08.08.2017 Categoria comerciária destaca conquista da creche
08.08.2017 Pais participam de reunião e recebem detalhes sobre funcionamento da creche Joel Mendes
07.08.2017 Teresinense teve que trabalhar quase 90 h para pagar a cesta básica em julho
07.08.2017 Lei Maria da Penha completa 11 anos de luta
04.08.2017 INSS vai reconhecer aposentadoria por idade de forma automática
03.08.2017 Temer é rejeitado por 95% da população, e 88% defendem diretas já
01.08.2017 INSS convoca segurados para perícia; quem não for perde benefício
28.07.2017 Dirigente sindical entra na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado
27.07.2017 Caixa Econômica começa a pagar hoje abono do PIS/Pasep
26.07.2017 3ª Plenária Nacional aponta caminhos para a organização sindical
25.07.2017 Creche para filhos de comerciárias tem matrículas abertas
24.07.2017 Fies: Inscrições para financiamento estudantil começam amanhã
21.07.2017 Com reforma, trabalhador pode ter que pagar custos de processos atuais
20.07.2017 Descobriu que a empresa não depositou o FGTS? Veja como monitorar o saldo e tentar reaver o dinheiro
20.07.2017 'Contrato intermitente cria o boia-fria do meio urbano'
19.07.2017 Sindicato promove aulas de Zumba para categoria
18.07.2017 Reforma aumentará número de processos na Justiça do Trabalho
SINDCOM - Sindicato dos Empregados no Comercio e Serviço de Teresina
Rua David Caldas, 536
sindicatocomerciariothe@hotmail.com - (86) 3131-1300